[GTER] Cache de BitTorrent

Fabrício Cabral fabriciofx em gmail.com
Quinta Junho 25 15:40:12 BRT 2009


2009/6/24 Provedor Bogus <provedorbogus em gmail.com>:

>      Assim, somos um provedor pequeno do interior do estado do Rio de
> Janeiro e desenvolvemos uma solução de cache
>      transparente para BitTorrent (futuramente servirá também para a rede
> eDonkey). Não gostaríamos de nos identificar
>      porque ainda estamos levantando os aspectos jurídicos da proposta que
> trazemos e contaremos também com as
>      respostas de outros interessados para formular nossa forma de
> funcionamento.

Os aspecto jurídico vai depender de como o seu cache funciona. Assim,
você poderia explicar *detalhamente* como ele funciona?


>      Sobre o código desenvolvido, o cache funciona perfeitamente, é
> escalonável, pode ser dividido em várias máquinas para
>      questões de alta disponibilidade e consome pouca CPU podendo ser
> executado numa máquina Linux com 16 GB de RAM
>      e aconselhamos um processador Core i7 básico.
>      Nossa máquina de produção tem exatamente essa configuração e custou
> cerca de R$ 2.800 com placa-mãe Supermicro.

Cache "normalmente" consome mais disco e ram do que CPU. Cache P2P é
um caso a parte, se for levado em consideração de *como* você está fazendo
o reconhecimento desse tráfego. Se for análise de payload, com certeza ele
vai consumir muita CPU (obviamente, também depende da quantidade de tráfego).


>      O problema atual é que possuímos pouco volume de tráfego para popular
> o cache e com isso o hit ratio alcançado fica em
>      torno de 6%, sendo que o desejável é qualquer coisa acima de 35%.

Não entendi direito essa dificuldade de popular o cache. Para o hit ratio ficar
baixo assim, só se houverem muitos usuários de P2P baixando conteúdos
diferentes (sempre novos) e poucos baixando conteúdos populares, o que soa
meio estranho.

Quanto de disco o seu cache está consumindo? Qual política de replacement
você está utilizando? Como funciona *exatamente* o seu cache?


>      A idéia é que outros provedores (fora do Rio de Janeiro, por questões
> de mercado) também possuam uma máquina de
>      cache que irá compartilhar o nosso servidor de conteúdo (que é uma
> máquina com 4 processadores Quad-Xeon
>      e 64 GB de RAM) de 45 TB. O modelo de negócios só fica interessante se
> pudermos utilizar um link de Internet mais
>      barato do que os contratados das carriers e por isso os interessados
> deverão estar conectados ao NAP das Américas
>      na Terremark. Espera-se com isso baixar o custo de link para o tráfego
> P2P sem diminuir a qualidade para o usuário
>      final.

Infelizmente, não posso ajudar nisso... :(


>      Se alguém estiver interessado em participar disso, por favor, envie
> uma mensagem privada.

Bom, eu tenho um certo know-how de caching P2P... querendo trocar umas
idéias, estou a disposição! :)

[]´s

-- 
--fx



More information about the gter mailing list