[GTER] EBT x MLPPP?

Andre Gustavo de Carvalho Albuquerque gustavo.albuquerque em gmail.com
Sábado Março 1 17:27:58 BRT 2008


A URL
http://www.cisco.com/warp/public/788/voip/delay-details.html#serializationdelay
tem
as informações sobre serialization delay para um conjunto razoável
de tamanhos de pacote e velocidades de link.

O efeito mais nocivo da não utilização da fragmentação em links de baixa
velocidade é ter que enfrentar a variação da latência, ou jitter. Em alguns
casos, o de-jitter buffer pode não ter o tamanho adequado para tratar as
variações. Em outros casos pode ainda ter o tamanho suficiente, mas o atraso
total ser grande o suficiente para que a percepção de qualidade de voz seja
considerada inaceitável.

Concordo com a linha do Julio, ter configuração padrão facilita bastante a
ativação de novos circuitos, ou expansão de existentes, e simplifica
processos de auditoria.

[]s, Gustavo Albuquerque

On 3/1/08, Julio Arruda <jarruda-gter em jarruda.com> wrote:
>
>
> Nao seria tambem uma maneira de ter uma configuracao 'padrao' ?
>
> Interleaving para fugir de serialization delay, concordo com o Rubens,
> e' necessidade mais forte so nos links de 1 Mbps ou menos (nao lembro da
> matematica de cabeca das famosas tabelinhas :-), qual o 'ponto de quebra'.
>
> So que, ter tudo com MLPPP, se a Embratel tem a capacidade de fazer isto
> de maneira mais facil em toda a camada de acesso (MLPPP), nao iria
> simplificar provisionamento de 'expansao' de capacidade ?
>
> Se voce tem 2Mbps e quer ir para 4Mbps, simplesmente teria que adicionar
> um link no bundle, isto nao teria um impacto positivo em tempo para
> provisionar e disponibilizar o servico (dos dois lados ?).
>
>
> Rubens Kuhl Jr. wrote:
> >>  Essa informação procede? Não me parece lógico fazer
> >>  MLPPP ao invés de HDLC para um único link fisico,
> >>  ou será que tem alguma outra razão que não estou percebendo?
> >
> > Sim, MLPPP também é usado para forçar fragmentação de pacotes sem que
> > isso seja visível para as pontas. A fragmentação IP introduzida por um
> > elemento intermediário só é remontada no host final da transmissão, e
> > como a paranóia anti-fragmentos dominou a Internet mundial, forçar
> > fragmentação nesse nível elevaria o número de reclamações para a
> > estratosfera.
> >
> > Forçar esse nível de fragmentação intermediária é típico da utilização
> > de links de baixa velocidade de serialização para transmissão de
> > pacotes sensíveis a latência com controle de QoS; como QoS não é o
> > aumento da qualidade de serviço, mas sim a degradação controlada de
> > qualidade de serviço para tráfegos de classe inferior, isso significa
> > que agora é mais fácil encaixar pacotes mais prioritários que os dos
> > clientes de Internet.
> >
> > Assim, apesar dos depoimentos de quem não notou diferença por
> > enquanto, eu só consigo imaginar essa medida como um prelúdio de
> > degradação da qualidade do backbone IP que já foi o melhor do país.
> >
> >
> > Rubens



More information about the gter mailing list