[GTER] As propostas sobre a mesa

Fernando Krahe fernando em optiglobe.net.br
Quarta Abril 10 11:40:00 BRT 2002


Totalmente de acordo que necessitamos um forum operacional no estilo NANOG,
para discutirmos todos os assuntos relacionados a operacao de redes no
Brasil ou quem sabe na regiao (America do Sul). Podemos continuar usando o
GT-ER, que eh um grupo de trabalho na area de engenharia de redes ou podemos
criar uma nova lista, algo do tipo "GORAS" (Grupo de operadores de Rede da
America do Sul) e discutir nela os problemas diarios e deixamos a lista
GT-ER para que fique como a lista IDR (para quem nao conhece, eh uma lista
onde sao discutidos protocolos de roteamento).
De toda forma, precisamos de um forum para problemas operacionais e que seja
multidisciplinar e nao somente roteamento ou seguranca ou gerencia ou
adminstracao de sistemas. Muitas veses um tema esta relacionado com outro.

Quanto a cobranca do evento, continuo achando que deve ser cobrado. Nao
estou certo, mas no modelo atual quem banca eh o herario, ou seja, todos
pagamos. Na minha opiniao, deveria pagar quem tem interesse em assistir. O
valor das entradas certamente nao ira custear todo evento, por isso serao
necessarias outras fontes de recursos como patrocinadores. Tampouco acho que
devam ser simbolicas ou para serem trocadas por brindes. O evento eh um
investimento para os participantes, pois todos saem apreendendo algo. Pelos
tutorias e apresentacoes que ja vi no NANOG, posso afirmar que o apreendido
eh muito mais barato (US$300 a inscricao) e de qualidade muito superior a
maioria dos cursos que tem no mercado. Alem disso, muitos participantes tem
suas inscricoes pagas pelas instituicoes que estao representando. Naquele
evento ha isencoes para palestrantes. Nao me recordo se tambem ha isencoes
para representantes da academia, mas eh algo que podemos pensar nesse grupo
abaixo do Ecuador.
O evento normalmente eh expositivo, mas queremos que o numero de
palestrantes seja maior e a participacao da plateia tambem. Posso estar
enganado, mas as vezes acho que muitos ficam intimidados de debater alguns
dos assuntos sendo expostos. Essa intimidacao pode estar relacionado ao
desconhecimento do assunto e isso pode ser diminuido com tutoriais e
"best-practices". Como mencionado no proprio evento, ha uma grande carencia
de tutorias basicos sobre todos os temas. Esses tutorias deveriam ser
repetidos em todos os eventos as pelestras na sessao geral devem nao somente
abordar novas tecnolgias mas tambem abordar experiencias das organizacao em
tratar determinado problema. Isso eh muito legal, pois eh possivel ver como
outros estao resolvendo os problemas.
Bem, meus 2c. No mais eh isso.

Abraco,
Fernando

----- Original Message -----
From: "Danton Nunes" <danton em inexo.com.br>
To: <gter em eng.registro.br>
Sent: Tuesday, April 09, 2002 2:19 PM
Subject: Re: [GTER] As propostas sobre a mesa


> > O que queremos que o GTER seja (ou o foco):
> >
> > Uma NANOG
>
> acho que não, embora uma NANOG-like faça falta no Brasil.
>
> > Um evento expositivo como eh hoje (por mais que essa nao seja a intencao
eh
> > como esta hoje em dia)
>
> sim e não. sim, porque há que se expor matérias em público, não porque só
> expor não é suficiente. o caminho tem que ser de mão dupla. eu prefiro as
> eventuais "pancadarias" que rolam às vezes no IETF do que o bom mocismo
> e a timidez que vi ontem.
>
> talvez seja o caso de criar pequenas forças tarefa para missões
específicas.
> por exemplo, combate ao spam, liderada pelo Herman; NAPs e PTTs, etc.
Esses
> grupos teriam por missão elaborar proposições de padrões, recomendações,
> guia de melhores práticas, etc. Nas reuniões ao vivo e em cores as RFCs
> (Recomendações Feitas com Carinho) elaboradas pelos grupos seriam
debatidas
> e aprovadas ou não por 'rough consensus'. O que implicasse em decisões po-
> líticas seria então levado ao CG.
>
> > Nao exista mais
>
> nem fale nisso. há problemas de engenharia de redes em todas as camadas
> que são específicos de nosso ambiente e para os quais temos que dar
> saídas.
>
> > *Criar um board to GTER
>
> pode ser interessante, se não for criar burocracia. o board deveria ser
> mais dinâmico que o IAB, afinal não estamos aprovando normas técnicas,
> mas geralmente recomendações.
>
> se adotarmos a idéia dos sub-grupos de trabalho uma das missões do board
> seria zelar para que os grupos executem suas tarefas a tempo.
>
> > *Cobrar entre R$100 e R$200 (excecao para pessoas envolvidas com o GTER,
> > estudantes e desempregados)
>
> nada contra. vender camisetas, cdroms e outras quinquilharias com a
> marca do GTER pode ser uma fonte complementar de recursos.
>
> >   - Atualizacao do website
> >   - tutoriais
> >   - Camisas
>
> camisetas com logo do GTER poderiam ser vendidas nos eventos e depois via
> web.
>
> >   - Speakers
> > *Ter em todas as reunioes tutoriais basicos (sugestao de algumas pessoas
na
> > reuniao)
>
> sim, sim, e atrair gerentes de TI para esses tutoriais.
>
> > *Definir publicamente o processo de selecao de palestras
> > *Dar mais espaco para os vendors, carriers ou ISPs promoverem tutoriais
> > (hands-on ou nao) - Sugestao da Riverstone
>
> hummm. precisaria ter o cuidado se tais tutoriais não se transformam em
> marketing puro. acho que é difícil evitar que num tutorial feito por quem
> vende um peixe não se defenda que aquele peixe é melhor que os demais
> peixes.
>
> Danton
> --
> GTER list    http://eng.registro.br/mailman/listinfo/gter
>




More information about the gter mailing list